Muitos brasileiros continuam sonhando com uma vida melhor no Canadá e buscando vir para cá de um jeito ou de outro. Mas a maioria não faz a menor ideia do que os espera por aqui. Da mesma forma como eu não fazia, mesmo tendo visitado o país por duas vezes antes de imigrar.

Na propaganda, o Canadá precisa de profissionais brasileiros qualificados. Parece que o país está de portas abertas para você e que basta você chegar para que os empregos chovam sobre você.

Logicamente não é bem assim. De certa forma, o que o Canadá precisa é de estudantes internacionais para alimentar uma das maiores indústrias do país: a da educação superior. Por isso há toda essa propaganda que te atrai para fazer College por aqui com a promessa de uma possível residência permanente no futuro.

Mas enfim, o que é real por aqui? A competição acirrada e em alto nível pelas vagas no mercado de trabalho. Isso deixa claro que o Canadá não precisa tanto assimA oferta de profissionais altamente qualificados em certas áreas e localidades supera em muito a demanda. Além disso, o país forma ou atrai profissionais da melhor qualidade.

Com tudo isso, o Canadá se dá ao luxo de desperdiçar profissionais muito bem qualificados e jogá-los no limbo de empregos de sobrevivência que nada têm a ver com suas formações. E essas pessoas sujeitarão-se a isso pois querem continuar vivendo aqui de alguma forma. Tudo menos voltar para seus países de origem.

Eu estou querendo destruir seu sonho? Não. Só estou querendo te dar preciosas dicas para que seu projeto imigração seja bem-sucedido e não dê num beco sem saída como quase aconteceu comigo em razão de um erro fundamental que cometi: ter apostado numa nova carreira onde não tinha experiência relevante alguma aos 42 anos de idade, pensando em empregabilidade. Sendo que era bom o suficiente para ter boas oportunidades na carreira que já tinha, mesmo que precisasse dar um passo para trás. E ter escolhido uma cidade que não me daria tantas oportunidades, por fatores puramente emocionais.

Minha sorte foi já ter chegado com residência permanente a este país, pois do contrário eu provavelmente teria voltado para o Brasil numa situação difícil. A residência permanente me permitiria passar o tempo que fosse preciso fazendo trabalhos de sobrevivência sem me preocupar com meu status migratório.

O ideal para quem pretende imigrar para o Canadá é vir jovem. Vir o quanto antes. Vir enquanto você ainda está em fase de formação, para beneficiar-se da excelente educação canadense e entrar no mercado de trabalho o quanto antes. Mas se você já tem mais experiência, o ideal é apostar no que você já fazia no seu país. Onde pode comprovar experiência e excelência. Se você for realmente bom, não terá dificuldades para encontrar oportunidades por aqui por mais restrita que seja a sua área. Mesmo que precise dar dois passos para trás.

Você tem todo o direito de recomeçar numa outra área por aqui, mas saiba que isso na prática significa retornar à estaca zero. Se você descobriu uma nova paixão ou finalmente resolveu qualificar-se naquilo de que realmente gostava, vá em frente. Mas prepare-se, pois sua experiência prévia pode valer muito pouco. Aos olhos dos empregadores, você será uma pessoa madura com a mesma experiência de um jovem de 21 anos. Num país onde há discriminação por idade, especialmente no mercado de trabalho. Infelizmente, o Brasil está bem mais avançado do que o Canadá nesse ponto. Por aqui, os jovens pouco se misturam com pessoas mais maduras e a hostilidade parte deles. Uma cultura baseada na ideia de “etapas de vida” mais ou menos pétreas faz com que se espere que pessoas de 40 anos já estejam navegando pela vida e pela carreira em velocidade de cruzeiro. Já estão no auge de suas carreiras, começando a vislumbrar a aposentadoria e vendo seus filhos de 18 anos partirem para a universidade.

Isso está totalmente errado e precisa mudar. É pura discriminação, mas o assunto não foi devidamente questionado como as questões de gênero ou sexualidade. As pessoas precisam se dar conta de que idade é apenas um número e a vida pode ser muito mais do que um velho e repetido script imposto pela sociedade sobre o indivíduo. O país perde muito com isso. E os jovens canadenses, mais ainda. Da mesma forma, os empregadores que favorecem os jovens candidatos. Algum pode até rever seus conceitos por sua causa, mas não conte muito com isso.

Da mesma forma não se deixe atrair por histórias de sucesso em certas áreas, sobretudo Tecnologia da Informação (TI), imaginando que as vagas sobram e que mesmo começando tarde você terá emprego fácil com bom salário. Isso não é verdade. Há muitas vagas em TI no Canadá, é fato. Mas a oferta de profissionais muito bem qualificados, canadenses e imigrantes,  é ainda maior. Pessoas com boa experiência na área. Gente que dorme, acorda, almoça e janta computador desde a infância ou a adolescência. Portanto, tenha consciência de que mesmo os brasileiros que chegaram e obtiveram boas colocações em TI por aqui já tinham muita experiência no Brasil e isso contou a seu favor. Elas só servem de referência para pessoas na mesma situação. Quantas pessoas você conhece que chegaram aqui com mais de 35 anos, fizeram um college relacionado a uma carreira totalmente nova em suas vidas e conseguiram oportunidades com facilidade? Eu não conheço nenhuma. Mas sempre há uma primeira vez e saiba que vou  comemorar muito quando isso acontecer.

Da mesma forma, escolha bem a cidade onde vai morar porque o simples fato de estar nos primeiros lugares no ranking da revista MoneySense não significa que aquele lugar será o melhor para você. Para começo de conversa, o bom lugar é onde o emprego está. Saiba que nem todas as grandes cidades canadenses apresentam uma grande diversificação econômica e algumas podem ser muito fracas em certos setores…

Por menos que você deseje escutar a voz da razão – aquela que te mostra os perigos e armadilhas do caminho – e só queira considerar os prognósticos mais otimistas, é preciso fazer um planejamento com cinco pés no chão e conectar nossos sonhos à realidade ao nosso redor. Do contrário, fica meio difícil…